Vamos conhecer um pouco mais os artistas da III Mostra 3M de Arte Digital?

Lucas Bambozzi é artista multimídia. Suas obras são constituídas por uma grande variedade de formatos, tais com o instalações, vídeos, curtas-metragens e projetos interativos e foram apresentados em exposições  individuais e coletivas em mais de 40 países. Ele é um dos criadores e curadores do Arte.mov e de  várias mostras internacionais, como Sonar Sound (2004). Em 2010 participou do Festival Ars Eletrocnica (Linz, Áustria), do qual foi um dos artistas premiados. Em 2011 teve uma retrospectiva de suas  obras no Laboratorio Arte Alameda, na Cidade do México. Vive e trabalha em São Paulo.

“Das Coisas Quebradas, 2012”, obra exposta na III Mostra 3M de Arte Digital, é uma máquina de consolidação de obsolescência a partir de campos eletromagnéticos.  Das Coisas Quebradas trata do fluxo de comunicação que nos rodeia transformado em dejetos.

 

Somos usuários de um sistema em teste contínuo, que jamais estará pronto. Construímos hardwares disfuncionais e nos deixamos regular por redes que cada vez mais avançam sobre nossas vidas. A onipresença da comunicação aumenta e passamos a ser agentes, operadores e reféns desse fluxo. A obra é uma máquina autônoma, que toma suas decisões a partir da intensidade dos campos eletromagnéticos que pairam sobre nós.

O projeto tensiona as relações entre consumo, consumismo e obsolescência programada, sem recair em um discurso assistencialista de uma prática pretensamente ecológica, baseada apenas na disposição pessoal do indivíduo. É a simulação física de um mecanismo contínuo, que opera entre as redes e o mundo real, onde a autonomia eventualmente caduca, os princípios se mostram obsoletos e percebemos que estamos na era da Internet das Coisas Quebradas.

Tags: , , , , , Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *